Romances Portugueses - Camilo Castelo Branco

A bruxa do monte Córdova de Camilo Castelo Branco – Primeira Parte “A mocidade de um Homem” – Capítulo II “O Frade”

“A Bruxa do Monte Córdova conta-nos a história de Angélica, uma rapariga que, sendo “a mais formosa da sua aldeia”, a quem todos cortejam, envolve-se numa relação proibida. Com a morte do amante acaba por enfrentar sozinha o estigma da exclusão social e da intriga.

Publicada em 1867, esta novela Camiliana tem como pano de fundo a guerra civil que ocorreu entre 1831 e 1834, e opôs os defensores de D. Pedro I e da sua filha D. Maria II, liberais e constitucionalistas, aos defensores de D. Miguel I, os absolutistas e tradicionalistas. Mas a acção principal em si relata-nos uma história de amor trágico que define bem a época conturbada em que se vivia, falando principalmente da falta de carácter dos representantes da igreja, enquanto instituição, que incentivavam o fanatismo e o histerismo religiosos e davam azo a intrigas e convulsões sociais. ”

Camilo Castelo Branco

” Camilo foi um dos mais brilhantes cultores do romance de costumes contemporâneos da época e da novela passional; o mais fecundo polígrafo e talvez o mais opulento e vernáculo prosador da nossa literatura, quase sempre com uma profunda sintonia com as maneiras de ser e sentir do povo português da sua época. Cultivou, além do romance e da novela, o conto, o teatro, a poesia, a história, a polémica, a crítica literária e outros géneros menores. Foi no romance que Camilo mais se notabilizou com um estilo predominantemente romântico, no entanto, não o foi exclusivamente. ”

Lendas Portuguesas

Lendas Portuguesas 1º Volume – Lendas Nortenhas

“…As Lendas são consideradas um caso à parte na literatura popular. É sua característica fundamental o relatarem factos tido como acontecidos e daí o serem localizadas no espaço e no tempo. Em qualquer casa, povoado, vila, cidade, ocorreram e ocorrem em qualquer altura acontecimentos e sucessos de vária índole. Pouco a pouco, o fundo do facto vai-se diluindo e os pormenores esquecem-se ou substituem-se por outros, formando-se deste modo um produto meio real meio fantástico: A Lenda …” Fernanda Frazão

Índice

Lendas Nortenhas

  • O monge e o passarinho
  • O Senhor de Matosinhos
  • Lenda de Santo Aginha
  • Santiago e Caio
  • O Senhor do galo de Barcelos e o milagre do enforcado
  • Maria Mantela
  • Santa Comba
  • A dama pé-de-cabra
  • A criada de D. Loba
  • As unhas do diabo
  • A lenda dos Marinhos
  • O diabo da ponte do Alfosqueiro
  • Lenda da ponte da Aliviada
  • A grade de ouro
  • Santa Marta de Penaguião
  • Bobadela
  • Freixo de Espada à Cinta
  • São Miguel dos Gémeos
  • Chacim
  • Chaves
  • Lenda de Valongo e Susão
  • Torre de Moncorvo
  • A truta da raínha
  • Lenda de Gaia
  • Egas Moniz, o aio
  • A lenda do castelo de Bragança
  • D. Sapo
  • Deu-la-Deu Martins
Lendas Portuguesas

Lendas Portuguesas 2º Volume – Lendas Nortenhas e Beirãs

“…As Lendas são consideradas um caso à parte na literatura popular. É sua característica fundamental o relatarem factos tido como acontecidos e daí o serem localizadas no espaço e no tempo. Em qualquer casa, povoado, vila, cidade, ocorreram e ocorrem em qualquer altura acontecimentos e sucessos de vária índole. Pouco a pouco, o fundo do facto vai-se diluindo e os pormenores esquecem-se ou substituem-se por outros, formando-se deste modo um produto meio real meio fantástico: A Lenda …” Fernanda Frazão

Índice

Lendas Nortenhas (cont.)

  • O castelo de Faria
  • A Inês negra
  • Mande Deus que se cumpra isto!
  • A lenda de Pedro Sem
  • A moura de Algoso
  • O penedo do sino
  • O degredado de Ledão
  • Torre de D. Chama
  • O castelo da Serra da Nó
  • Os três sapinhos
  • A bouça do Hortal

Lendas Beirãs

  • A mula da raínha santa
  • A cura do infante
  • A conversão dos mouros de Trancoso
  • O açor e o príncipe
  • A Senhora da Lapa
  • O cativo de Belmonte
  • Senhora do Baleal
  • Nossa Senhora do Fetal
  • A raínha do Alva
  • O penedo do perseguido
  • O rei Chiquito
  • Os ferreiros de Penela
  • Lenda de Almaceda